Fragmentos de uma carta - 1

É como se meu coração fosse uma pedra sem forma
E com o tempo ela fosse sendo esculpida
Acontece que bateram com muita força
Sem cuidado
Sem saber como contribuir com o formato daquele coração
E ele foi diminuindo
Sem forma
E se fragilizou
Quando alguém chegava e tentava esculpir amor ali
Se despedaçava
Porque não havia forças para receber mais nada
E assim, me vi incapaz de amar
Como se a fechadura e a chave não fossem mais compatíveis
Que solução podia ter agora?
Uma pedra não aumenta de tamanho
Ela se desgasta com o tempo
Acontece que o meu coração se desgastou demais
Não há como aumentá-lo, fortificá-lo
Mesmo que junte os pedaços
Nunca terá a mesma solidez
De que se tivesse sido esculpido com maestria e cuidado
Sem mais palavras
Recolhi-me

Acompanhado de tristeza

Eu ainda sonho contigo.
Ainda sinto como se fosse acontecer.
Sentir tudo aquilo, mesmo num sonho
É destruidor.
Abraço, tentativa de reconciliação, fracasso.
Mas percebi que ainda existe uma vontade,
Ainda existe um pensamento,
Ainda existe um sentimento,
Que se tenta sufocar,
Mas emerge com tudo
Quando baixamos a guarda.
É fácil pra mim, dizer o que eu quero.
Mas silencia-se e deixa-se acalmar.
Meu amor persiste e pronto,
Mas agora junto com a tristeza.
Eu lembro quando era acompanhada de Felicidade.

When it is hard to let it go. 😓

Sabe porque te odeio, W. N.?

Quando penso nas coisas ruins que tu fez comigo, lembro de imediato no que mais me machucou, que foi quando tu colocou teu ciúmes em primeiro lugar e não ficou feliz pelas minhas conquistas. Muitas vezes conversei contigo pra alertar sobre o teu ciúme exagerado que me sufocava e dos dramas e brigas desnecessários que me cansavam muito. Tu gosta ou gostava muito de problematizar tudo. Jogava muita coisa pra cima de mim, quando o que eu queria era sorrir do teu lado. Hoje, eu não sei se tu me amava mesmo ou se apenas estava acostumado com o status de meu namorado. Houveram muitos outros episódios em que tu me machucou e traiu minha confiança, mas tento esquecer deles, por pedido teu. Agora que a gente terminou, isso tudo já não importa muito, né?

AGORA vou dizer porque te odeio:
Eu te odeio, porque mesmo consciente que tenho motivos pra não gostar mais de ti, eu menti na nossa última conversa quando disse que não te amava mais. Eu te odeio muito por isso, porque prometi nunca mentir pra ti. Eu te odeio, porque meu coração está totalmente em pedaços e ainda te amo muito. Eu te odeio, porque eu imaginava que tu fosse o homem da minha vida, a pessoa com a qual eu ficaria pra sempre, planejei casar e viver bem. Eu te odeio, porque apesar do teu ciúme infundado, eu nunca considerei a ideia de estar com outra pessoa, tu era tudo que eu queria, apesar de tudo. Eu te odeio, porque agora eu não posso falar contigo direito e não sei como vc está. Eu te odeio, porque acho que nunca mais vou ver teu sorriso de novo, escutar tua risada e não vou poder rir das tuas piadas bestas. Eu te odeio, porque apesar das nossas diferentes personalidades, nós éramos muito bons juntos em muitos aspectos. Eu te odeio, porque tu sempre me acusava de alguma coisa, como querer curtir festa ou beber..algo que nunca foi do meu interesse, parecia que tu não me conhecia ou acreditava mais no que os outros diziam. Eu te odeio, porque toda vez que me vejo triste, eu penso em ti e penso em te ligar e te falar o quanto eu te amo. Na verdade, eu penso em ti até quando estou feliz. Muitas coisas que me aconteceram nesses dois meses separados, eu gostaria de ter compartilhado contigo. E eu te odeio muito, porque apesar de estar do lado dos meus melhores amigos, eu só penso em ti e queria o teu aconchego, o teu abraço e de mais ninguém. Queria falar coisas, que não me sinto à vontade de falar com meus melhores amigos. Isso, talvez, porque eu te considerava um grande amigo e me sentia tranquilo para falar de qualquer coisa, qualquer medo irracional, de qualquer fraqueza..e tu sabia o que dizer, o que fazer. Eu te odeio, por eu estar sendo injusto com os meus amigos agora. Eu te odeio, porque eu sinto muito a tua falta. Eu te odeio, porque ainda imagino como seria se tivéssemos continuado juntos, com otimismo, imagino nós dois casados, bem empregado e com um filho, jogando vídeo game com ele.. eu e ele rindo de ti, porque tu perde em todos os jogos. Finalmente, eu te odeio, porque apesar de eu tentar focar apenas no teu lado ruim, pra poder te esquecer, eu penso também nas coisas boas.. teu jeito sempre generoso, teu companheirismo, teu coração ingênuo, teu lado criança e divertido, teu jeito sonhador e os teus carinhos que são os melhores ever.

Sei que também errei muito, não sei dizer o quanto tenho culpa pelo fim do nosso relacionamento.. o que eu posso dizer é que eu tentei tanto ter um bom relacionamento contigo.. agora eu só me sinto um fracassado e não tenho ninguém pra me dar um abraço, não como o teu.

Eu queria saber como vai ser o futuro agora, já que não tenho a mínima ideia do que vem a seguir. Estou com medo. Como sempre.


Kvothe



Pesares

Oi, sou eu.
Faz tempo que não vens aqui! Algo aconteceu!?
Faz tempo, eu sei. E sim, você está certo. Só estou aqui porque tem algo me incomodando, não sei definir se estou triste, angustiado, com medo, inseguro ou com ciúmes; ou tudo isso.
Mas deixa eu contar, Ele está comigo de novo, é..nem te falei, foi tudo maravilhoso, a volta..fiquei muito feliz. Então, o que veio fazer aqui? Bom, vim conversar um pouco, pra ver se tiro isso da cabeça, esse ciúme exagerado que nunca tive, que acho desnecessário.. A verdade é que acho que tenho SIM motivo pra ter ciúme, Ele tem infinitos amigos em todas as redes sociais, enquanto eu tenho pouquíssimos. Mas desde quando te conheço, tu nunca gostou de redes sociais, e nem de social nenhum, aliás muito pouco. Digo logo que tu não precisas disso, não te desanimes ou fiques triste. O que tens de fazer é confiar e relaxar. Essa pressão ridícula não é pra ti. Mas.. Vejo que mudou, está amando, e portanto está mais vulnerável. Essa escolha foi tua, aprende a viver assim. É, eu amo. E amo mesmo, sinto ciúme de verdade agora. Sinto saudade. Sinto aquela vontade estranha de estar perto todo instante, e não gosto muito quando algumas pessoas chegam perto Dele. Mas sei que tenho que me acalmar mais quanto a isso. Só é ruim sentir essas coisas. Ei, para de escrever com inicial maiúscula quando se refere a quem tu amas, não há necessidade disso. Ah, tudo bem. Tem razão. Bom, me sinto melhor já. Por favor, não conta isso pra ninguém, é uma coisa que fica só entre nós. As pessoa vão rir de mim, com certeza. E tenho que te dizer, acho que ás vezes ele não se importa muito sabe, ele não está como antes. Acho que depois do término, ele ficou mais frio, no sentido de se proteger contra o sofrimento, então, não sinto que ele esteja se entregando completamente, não sei. Ainda não senti isso, de ele abdicar de alguma coisa por mim, algo do tipo. Queria alguma prova de que sou realmente importante, sabe.. Ok, acho que comprovei que estou meio neurótico. Além disso, acho que ele não está aplicando o "tênis x frescobol" e isso me entristece. Bom, acho que precisamos de mais um tempo pra descobrir se é isso mesmo. Faça a sua parte, não tenha medo de se decepcionar, não seja orgulhoso, ame de verdade. Seja bem você, um pouco menos psicótico ajuda.. Acho que a resposta está no tempo. Tudo bem. Hoje, eu vim só desabafar. Não vim inspirado nem nada, foi só pra botar pra fora, agradeço por ter escutado. Depois venho aqui dizer como ficou essa história.
Até mais! Beijo.

I'm done.

Não sei até onde o medo vai. O meu parece não ter fim. Quem dera eu ser corajoso, Quem dera eu ser curioso. Acaba-se por ser nada, sendo tudo que não quer ser. Só lágrimas e tristezas inexplicáveis. Medo de novo. Nem me considero merecedor de viver aqui. Aqui é o lugar de quem tem coragem, De quem é forte. Eu não. Sou fraco, Tenho medo e Não sou nada curioso. Sou sonhador, Isso posso dizer. Só o amor me segura aqui, Mais nada. Há sim, aqueles momentos em que quero, Desejo muito ter coragem. Mas é só pra poder voltar pro meu planeta. Sim, eu tenho certeza. Eu não sou daqui. Não quero ser daqui. Não posso ser daqui. Saint-Antoine se decepcionaria se tivesse me conhecido no Saara. Nem de perto sou tão corajoso quanto Ele. Isso é o que me mata, Não é a morte. É a vida. Essa vida. Agora não sei ser positivo, Desculpem-me. Mas, I'm done.

É frustante, mas o coração volta a doer de tempo em tempo.

Boas notícias.

Ele veio.
Lá estava eu naquela rua escura de novo com as lágrimas.
Ele, que eu não sei quem é, chegou até mim e não tive medo.
Enxugou-me as lágrimas do rosto e me beijou, dizendo que tudo iria ficar bem.
Ele trouxe uma estrela para mim, não sei como ele sabia que gosto delas.
Mas eu não sabia mais o que era dor naquele momento, e tudo se aqueceu.

Da sede.

Do que preciso hoje.




Oi Pequena,
Sou eu. Sei que faz muito tempo que não falamos, mas só você pra entender o que o Pequeno sente. Sei disso, porque você já passou pela mesma situação e não foi só uma vez. Pois é, coração tá doendo que só. Sabe aquele nó na garganta que não desata de jeito nenhum e as lágrimas que te fazem mal, mas não saem.. ainda tem o coração que bate devagar e tão forte, que te faz uma pressão no peito que parece que vai explodir... até pedi pra que ele parasse de uma vez, seria melhor.
Dói. Mas é bonito demais quando lembro daquelas estrelas que a gente olhava e ele pegava com todo esforço aquela mais brilhante pra alegrar o dia. Daquele olhar todo sem jeito querendo colocar um sorriso no meu rosto. Daquelas vezes em que só bastava nós dois pra que tudo se conectasse da forma mais perfeita, sem esforço... e o mundo fluía sob os nossos pés, a gente se via lá em cima, voando pela noite calorosa.
Hoje, não foi assim Pequena. A rua tava escura e as lágrimas rolaram, porque foi demais, a dor, o medo... a perca. A lua estava lá radiante, mas eu estava na sombra, me escondendo dela. Essa dor ainda não me deixou dormir e é por isso que estou te escrevendo, acho que é reconfortante, talvez nem seja, mas queria que fosse.

Amanhã espero um dia melhor.
"Um dia me disseram que as nuvens não eram de algodão [...]"

Hoje, eu não sei.

Talvez devesse deixar as formalidades, e com elas as dores sufocantes, a angústia de não poder fazer e o silêncio que grita lá dentro. É isso que faço. Deixo bem preso, como um demônio que não deve ser solto de maneira alguma,  o amor assim se torna, quando se não permite. Protejo-o do meu amor e dói. E a verdade se esvai, sai de fininho, só pra manter o afago, o carinho. Mas assim tá bom demais. Quem me dera mais, quem me dera. Ambiguidade é essa felicidade proveniente de dois lados completamente opostos. Vou fazer de tudo pra manter intacto esse afago tão bom, aquele abraço e beijo que me leva a vários lugares num só instante. Mesmo que me doa a dor mais intensa, mesmo que não consiga mais a ponto de me mostrar fraco. Garanto que não para quem me dá a alegria, para este só darei amor refinado. Perdido nas palavras. Coração fica bobo, nem se parece meu. Talvez. Nem sei. Não sei mesmo.

*Quando a gente faz o que não quer, diz o que não diria e fica feliz só de ver a tranquilidade dos outros.